segunda-feira, 11 de junho de 2012

01/05/12

A garota do quarto andar não parece querer mais algumas pessoas. Quer e não quer, como um ioiô sem fim. Fantasia? Talvez. Mas estranho é o desejo de não ser desejado mais.
05/06/12

A velhinha que passa por mim todos os dias na caminhada pareceu mais triste, o seu olhar para os pés mais forte. Pensei, que ela talvez tivesse medo da idade, ou do fim, ou se quer da luz do sol, do novo amanha. Teus cabelos brancos curtos pareceram nuvem no ar. Talvez ela tenha descoberto que a vida vale a pena, tarde demais.

11/06/12
Rota 07

O cara gordo que tentou e conseguiu passar na roleta do onibus pareceu frustrado, irritado e triste com o cobrador que duvidou que ele conseguiria. A falta de fé no ser humano, me arrepia.